FLAP! Rio 2007 – Contaminações

Dias 4 e 5 de Agosto 2007 – PUC-Rio no Auditório do RDC

PROGRAMAÇÃO

Sábado, dia 04 de agosto

14:30h – Leitura do poema Tabacaria, de Álvaro de Campos, pelo poeta Eduardo Tornaghi + Leitura InVERsa

15h às 16:30h – Contaminações
Mediação: Thiago Ponce – poeta
– Bruno Cattoni – poeta e jornalista
– Márcio-André – poeta e músico
– Paulo Ferraz – poeta e editor
– Sylvio Back – poeta e cineasta
– Toni Barreto – poeta, restaurador e encadernador

16:30h às 18h – A Literatura na Sala de Aula
Mediação: Vinicius Baião – poeta
– Alberto Pucheu – poeta, professor de Teoria Literária UFRJ
– Érico Braga – poeta e professor
– Flávio Corrêa de Melo – escritor
– Marcus Alexandre Motta – professor de Literatura Portuguesa da UERJ

18h – InTERvalo InVERso

18:30h às 20h – E quem vive disso?
Mediação: Raphael Vidal – editor e escritor
– Cairo Trindade – poeta
– Marcelo Lachter
– Pedro Tostes – poeta e editor
– Thereza Cristina Motta – editora e poeta

Domingo , dia 5 de agosto

14:30h – Apresentação de texturas poéticas e realidades experimentais com Arranjos para assobio

15h às 16:30h – O Além Livro
Mediação: Leandro Jardim – poeta
– Ana Paula Maia – escritora
– Andréa Paola – poeta
– Cecília Giannetti – escritora e editora
– Sérgio Sant’Anna – escritor

16:30h – InTERvalo InVERso

17h às 18:30h – Literatura Falada e Literatura Escrita
Mediação: Priscila Andrade – poeta
– Geraldo Carneiro – poeta e letrista
– Henrique Rodrigues – poeta e coordenador de projetos literários
– Mano Melo – poeta
– Salgado Maranhão – poeta

18:30h – Fechamento InVERso

FLAP! 2008: ZONA FRANCA

4ª Edição, O Poema em Outras Fronteiras

Realizada pela primeira vez em 2005, a FLAP! chega neste ano à sua quarta edição. A FLAP! ocorrerá de 1º a dia 10 de agosto. O evento é gratuito e aberto ao público em geral.

– De 1º a 7 de agosto em São Paulo e Campinas
– De 9 10 de agosto no Rio de Janeiro

A FLAP será feita de debates, oficinas, lançamentos e leituras, em diversos espaços de São Paulo e no Rio de Janeiro.

Canal de Vídeos da FLAP no Youtube: www.youtube.com/flap.

Proposta de Debate:

A literatura, que teve seu início marcado pela oralidade, foi ao longo do tempo sofrendo  transformações afins ao contexto sócio-cultural de cada época. Em nosso passado recente, o século XX testemunhou a cisão que as vanguardas  européias provocaram no conceito de estilo de época, promovendo obras  que ultrapassavam as barreiras de gêneros e formas artísticas.

Os efeitos desse direcionamento rumo à abolição de fronteiras entre  artes se fez sentir durante todo o século passado e invade este início  de século XXI. No entanto, o desejo de surpreender e chocar o público,  tipicamente vanguardista, é substituído por uma conscientização  dos meios – sejam eles relacionados à História da Arte ou as novas  conquistas tecnológicas – de que o artista dispõe e entre os quais deve escolher para encontrar a sua expressão mais justa.

No caso específico  da literatura brasileira, o concretismo e o neoconcretismo abriram um  terreno fértil para esse trânsito literário por outras frentes, o  que resultou em diversos trabalhos que mesclam à poesia o design, a  performance, a música e as artes eletrônicas.

No entanto,  as atividades transmidiáticas, tão difundidas nas diversas artes, são ainda vistas com reserva nos setores mais conservadores do meio  literário brasileiro. As reflexões contemporâneas acerca do alcance  e da função da produção poética nacional raramente tem levado em  consideração a questão do suporte. Mesmo em blogs e sites literários a tela do computador é freqüentemente utilizada como substituta do papel, sem aproveitar suas formas expressivas. Assim a vocação experimental e a busca pela especificidade dos novos meios parece ter sido sobrepujada pela demanda simplesmente funcional dos meios eletrônicos.

A FLAP! 2008 pretende  alimentar a discussão sobre um contexto artístico expandido de literatura  na qual a mescla com outras formas de linguagem e pensamento possa favorecer  não apenas a ampliação de seus horizontes estéticos, mas também  a formação e difusão de seu público.

A FLAP em 2005

A FLAP! nasceu em julho de 2005 como uma contra-proposta à FLIP (Festa Literária Internacional de Parati), um evento que o grupo entende como direcionado ao público de classe alta, caro para muitos estudantes (o público paga para entrar em palestras e shows), além de focar em autores de best-sellers e estrelas de televisão; ainda que acabe trazendo escritores e críticos importantes.
Organizada por estudantes do curso de Letras (FFLCH) da Universidade de São Paulo e da Academia de Letras da São Francisco (Direito), a FLAP! 2005 reuniu mais de 300 pessoas no Teatro dos Satyros na Praça Roosevelt e teve divulgação nos principais veículos literários por reunir professores universitários, críticos e os principais escritores do cenário paulista em palestras acaloradas. Agora em 2006 mais estudantes de outros cursos da USP, assim como estudantes de Letras no Rio de Janeiro, colaboram em sua organização.