Afrodite in verso

1

CONFISSÃO

meus sussurros
são derramados
em papel de carta.

quando a calma da tinta acabar
esqueça que te amo.

 
Esse poema exemplifica bem o lírico “Afrodite in verso” da carioca Paula Cajaty, lançado ano passado pela 7Letras. A autora, que mantém um interessantíssimo e bem atualizado site (paulacajaty.com) de poesia e outras variedades do mundo artístico, teve a orelha dessa sua estréia escrita pelo poeta Fabrício Carpinejar, onde a essência do livro foi muito bem captada:

“Na obra, há um efeito ‘Lolita’, uma mistura nervosa de adolescência e erotismo, da ansiedade do meu ‘querido diário’ e o sarcasmo da partilha de bens.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: