eXato acidente

Já conferiram o último do Tony? O livro fala por si, segue um trecho:

Dançando foi que eu percebi que as disputas podem ser diferentes e que, talvez, os cachorros sobrevivam. Imaginei o portão vazio e a sensação de vitória nos primeiros dias sem cachorro na vizinhança. Imaginei também o vazio das frases do dono do bar quando eu passasse lá sem me julgar melhor por ter um motivo para viver. Viver é umas vezes matar cachorros. Pensei que, tão logo eu matasse o primeiro, ficaria muito mais difícil matar um segundo. Os homens estariam de olho. E os cachorros poderiam mudar de humor nesse meio tempo, poderiam ficar quietos. Eu sairia de manhã com o sono satisfeito, andaria pela rua e nada, sem perspectivas. Seria preciso encontrar outra questão de vida e morte. A gente dança de noite e, no fim, o toureiro não mata o touro. Dormem os dois. Cheguei a achar que preciso dos cachorros para alimentar meu mau humor e minha vontade de dançar. Prazer compensatório. Se os cachorros ficassem em silêncio, eu dormiria e perderia o gosto pelo bailado? Talvez o seu Roberto continue trabalhando para ter com o que brigar.

(Monti, Tony. eXato acidente. São Paulo, Hedra, 2008 )

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: