Poema do recém lançado Bendita Palavra, de Maria Rezende

MORRER PODIA SER SÓ UM POUQUINHO
podia ser um passeio
viagem pela noite que acaba num café

Morrer como uma aventura
uma montanha
andar o deserto a pé e depois voltar

Como dançar de olho fechado
se perder em outro corpo
como uísque bom, um sono inteiro
um prazer, um cheiro

Morrer podia até ser um castigo
porta fechada com prazo de fim
mas não esse buraco, esse abismo
seu riso pra sempre ausente
sua música soando e mim

(Rezende, Maria. Bendita Palavra. Rio de Janeiro, 7Letras, 2008 )

Maria Rezende participou da primeira edição da FLAP!RJ em 2006, onde dividiu a mesa mediada por Marcelino Freire com Claudia Roquette-Pinto, Fabio Aristimunho Vargas e Francisco Bosco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: